Peoples Pit #5: Ares (Marco Corino-Jaggi)

Peoples Pit Ares cópiaPalavras me faltam para definir o que foi essa entrevista, talvez a melhor, talvez a melhor se relembrarmos aquela conversa mítica que tive com o argentino The Ripper, onde ele soltou uma frase que nunca esquecerei em minha vida: “Toda mulher, pelo simples fato de ser mulher já é linda. Ares lutou por um enorme período na CHIKARA, chegando a vencer um King of Trios, mas veio da Europa, assim como Claudio Castagnoli (Tag Team Partner dele por muito tempo), ambos foram treinados, e bem, por Chris Hero. Hoje, Marco não se dedica tanto ao Wrestling, mas é seguro dizer que ele é um dos melhores Wrestlers em atividade nos últimos seis meses. Confiram essa entrevista marcante, nunca pedi com tanta sinceridade que lessem algo meu, mas isso aqui vale a pena ser lido e compartilhado para o mundo.

Tanaka: Pela CHIKARA, você foi Tag Partner de Claudio Castagnoli. O que acha do atual sucesso que ele está fazendo na WWE?

Ares: Eu era Tag Team Partner de Claudio muito antes da Chikara. Nós começamos a lutar mais ou menos ao mesmo tempo, na Europa, em 2001, e rapidamente nos tornamos uma das melhores Tag Teams da época, como Swiss Money Holding. Claudio merece todo o sucesso possível, porque ele é a pessoa mais dedicada que eu conheci quando o assunto é wrestling. Ele passou quase cada segundo da última década a trabalhar para chegar onde ele está no momento, o céu é o limite para ele. Ele respira wrestling, ele come wrestling, e ele dorme wrestling. E acima disso tudo, ele é um dos melhores, uma das pessoas mais verdadeiras e humildes no wrestling hoje em dia, o que faz seu sucesso é sua dedicação, se mandarem ele cortar a garganta, ele corta, tudo pelo Wrestling, que fica ainda mais admirável.

Tanaka: Como era fazer Tag Team com Claudio?

Ares: Foi ótimo, como eu já disse, começamos a lutar quase ao mesmo tempo. Nos conhecemos em um show da wXw na Alemanha. O promotor disse “Vocês dois vieram da Suíça, mande trazer dois ternos, se tivermos espaço no card vocês terão uma Tag Team Match”. Foi nesse ambiente que nasceu a Swiss Money Holding. Nós imediatamente se entrosamos, mesmo eu nunca tendo visto ele a não ser noite anterior, além de nunca entrado no ring com ele. Não importava se tivéssemos lutador juntos por meses, ou pela primeira vez em anos sem nunca ter se visto, que sempre parecia que nós líamos o pensamento do outro. Mas ele é realmente um lutador excepcional, como um bom lutador de Tag Team. Um grande lutador em geral, eu tive um grande momento, sempre viajávamos juntos e dividíamos espaço em um ring! Ele era uma cara grande quando começou a lutar na Europa, mas quando mudou-se para o Estados Unidos suas habilidades in-ring cresceram absurdamente.

Então, eu pude também vir para o Estados Unidos e trabalhar junto com ele na CHIKARA, eu estava em êxtase. Ele tinha crescido muito desde a última vez que tínhamos trabalhado juntos, foi uma experiência fantástica entrar no ring novamente com ele. Ele tinha se tornado um verdadeiro “general do ring”, e isso, normalmente, fez com que eu crescesse junto a ele. Se isso não era aparente antes, eu sabia que depois ele chegaria a alturas maiores. E não demorou para isso acontecer com Claudio.

Tanaka: Gostaria de se juntar a seu mentor, Kassius Ohno, no NXT?

Ares: Se você tivesse feito essa pergunta alguns anos atrás eu diria SIM imediatamente, porém, ao contrário de Claudio e de Chris, o Wrestling não é minha única prioridade hoje em dia. Estou muito feliz pelo Chris, porque eu mesmo nunca teria chegado aonde ele chegou sem seu grande conhecimento e sua excelente formação. Eu e Claudio pensávamos que sabíamos o que estávamos fazendo, mas só até termos nosso primeiro treino com Chris Hero. Ele abriu nossos olhos para a realidade e eu sou grato por cada minuto que ele passou com a gente para passar todo seu conhecimento. Espero que sua ascensão continue e que ele chegue ao lugar que merece.

Tanaka: Você é casado com Allison Danger, figura importante na SHIMMER, como é uma família formada por Wrestlers? Como é seu dia-a-dia?

Ares: É ótimo. Desde o início tivemos o entendimento mútuo sobre outro estilo de vida, que só se tem quando você está envolvido no Wrestling. É uma coisa tão louca, tantas dores, tanto drama, tanta viagem. As pessoas de fora podem dizer que entendo, mas elas só veem a superfície. Em cima disso, estávamos em um ponto similar de nossas vidas, e nos encaixamos desde o primeiro dia.

Nosso dia-a-dia tem a ver com a Luta-Livre. Wrestling era uma parte tão importante em nossas vidas antes de nos conhecermos, e no primeiro ano e meio que ficamos juntos… Mas tudo mudou quando nossa filha nasceu. Wrestling é parte de nossa família, e, provavelmente, sempre será uma parte de nós, mas não é maior parte. No entanto, estamos no Modo Full da Família de Wrestling quando estamos em algum show juntos. Nossa filha é cercada de Wrestling desde que nasceu então ela já está acostumada com shows de Wrestling e tudo isso que a ronda! Ela sabe muito dos meninos e não tem medo de nada

Tanaka: Contra qual Indy Wrestler você mais gostaria de lutar?

Ares: Eu sempre disse que eu amaria ter uma luta contra o Chris Daniels. Ele sempre foi um dos meus maiores ídolos, e tirando um breve encontro em uma Battle Royal e um segmento surpresa em um show da wXw, eu nunca estive no ring contra ele.

Tanaka: Qual foi a melhor luta de sua carreira?

Ares: Isso aí depende do que você considera “melhor”. Do ponto de vista técnico, tem que ser uma de minhas grandes Title Matches contra Chris Hero na wXw em 2007. Foram lutas muito emocionantes, e naquela época, eu trabalhando contra ele deu muito certo. Fiquei bastante orgulhoso dessas lutas. Se “melhor” é sinônimo de mais influente, eu acho que tem que ser minha Singles Match contra o Kenta Kobashi em 2005. Até hoje eu acredito que essa luta abriu as portas para eu ir pro Japão e fazer uma Tour inesquecível pela Pro Wrestling NOAH. Ganhar o King os Trios 2010 também foi um grande marco para mim. Mas há uma tonelada de lutas que me sinto orgulhoso de ter feito, seja por um motivo ou por outro.

Tanaka: Como foi sua passagem pela Alemanha? O que há de diferente entre os fãs europeus e os fãs americanos?

Ares: A Alemanha sempre foi algo bom para mim, foi lá onde tive meu primeiro treino e minhas primeiras lutas, onde estive no ring com verdadeiras lendas do Wrestling. Mas você não pode generalizar tanto. Mesmo na Alemanha, os fãs podem ser completamente diferentes. O Wrestling em Essen e bem diferente do Wrestling em Hamburgo, por exemplo. E é o mesmo que acontece nos EUA: A crowd da Zona Rural da Carolina do Norte é diferente da do centro da Filadélfia. Em geral, sempre que lutava na Alemanha me sentia como se estivesse “em família”, mas eu assumo que isso tem a ver por eu ter começado lá, por terem visto desde minha primeira luta, tem muito a ver com isso. Eu acho que as diferenças tem a ver com a empresa, com o show que está sendo apresentado e onde ele está sendo apresentado. Diría que para a WWE é quase isso, já é o mesmo para empresas Indys e seus fãs, eu acho.

Tanaka: Em 2010 você venceu o King of Trios junto a Claudio Castagnoli e Tursas. O que achou dos vencedores desse ano?

Ares: Este ano, a The Spectral Envoy ganhou o torneio. Eu não estava lá, e me dói ver Ultramantis Black ganhar alguma coisa. As cicatrizes ainda são muito profundas…

Tanaka: Gostaria de trabalhar contra algum membro da Família Corino?

Ares: Claro, eu adoraria. Eu tenho trabalhado com Steve Corino, bem como com Allison Danger um monte de vezes, e eu sempre tive um grande momento. Eu e Allison contra o Mr. Wrestling 3 e Shark Girl é até hoje uma das lutas em que foi diversão do início ao fim! E agora que Colby Corino também está no Wrestling, uma espécie de luta com nós quatro precisa acontecer. Espero que se você for paciente bastante, isso vai acontecer mais cedo ou mais tarde!

 

Tanaka: De onde surgiu o nickname “The Permanently Profit Producing Person”?

Ares: Bem, Claudio e eu estávamos procurando algo que se encaixasse na gimmick “Swiss Bankers”, e o Swiss Money Holding foi colocado em nós. Não é que nós não gostamos, pelo contrário, nós amamos isso. Mas ainda queríamos deixar mais com a nossa cara. De volta no tempo, nós, muitas vezes pegávamos o microfone antes de nossas lutas e nos apresentávamos, dizendo que os fãs podiam lamentar, pois havíamos comprado aquela cidade com nosso dinheiro. Para a introdução, surgiu muito rapidamente o “Most Money Making Man”para Claudio. Agora precisávamos de algo semelhante para mim, e, portanto, daquele momento em diante Claudio iria me apresentar como seu “Permanently Profit Producing Partner”. Uma vez que Claudio foi para os EUA, e eu mais e mais Singles Matches, eu mudei para Permanently Profit Producing Person…

Tanaka: Qual sua Dream Match?

Ares: Eu sempre quis lutar com o “Nature Boy” Ric Flair. Não sei se isso vai acontecer, mas é por isso que chamamos de Dream Match, certo? (Risadas)

Tanaka: Para encerrar, deixe um recado para seus fãs brasileiros…

Ares: Obrigado a você pelo apoio. Infelizmente nunca fui para seu país, mas já ouvi falar que é bonito (não só ele, como toda a América do Sul), mas eu espero realmente ter a chance de um dia visitar vocês. Apoie o Pro-Wrestling e seus lutadores favoritos sempre que puder. Desfrute de cada show, especialmente se você for ver algum ao vivo

Enfim, se curtiram, compartilhem no Facebook e no Twitter, comentem, sintam-se a vontade para tirar esse rancor do peito e despejar em mim. A próxima edição do PP é com a mãe de um Diva… Sem mais

Sobre "Canadian Wrestling God" Luiz Tanaka

16 anos, capricorniano, cursando atualmente o 3º Ano do Ensino Médio. Fui aprovado em Jornalismo na UFAL no ano passado, mas decidi não cursar. Atualmente mantenho o UOW, blog que tenho um apego grande, mas sem qualquer pretensão de torná-lo grande. Sou figura reconhecida principalmente por conta da UWF. Odeio o estereótipo de nerd. Sou apenas um rapaz latinoamericano, sem dinheiro no banco. Sem primos importantes e vindo do interior! O tipo estranho de se conviver, que curte doidamente um Forró Pé-de-Serra ao mesmo tempo que admira muito a cultura estrangeira.

Publicado em 8 de janeiro de 2013, em Peoples Pit, Quadros e marcado como , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Puta Entrevista foda! De todos os Peoples Pit que eu li até agora (e não foram poucos), esse foi o melhor, sem dúvidas. Parabéns, Tanaka!

  2. The Panic Show "Do not climb in the ring, he's dangerous! You need not go further until the swamp the swamp until you will".

    Muita boa a entrevista deu para saber detalhes da carreira de Antonio Cesaro e mostrar que à muita gente boa no mundo do wrestling.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: